Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 17 de março de 2017

Desinformar é preciso!

Amigos e amigas.
A cada dia, mais o cerco contra o Revisionismo se fecha. É a democracia da NOM fazendo seus estragos, subvertendo e pervertendo tudo o que é sadio: o contraste, a contestação, o debate, a multiplicidade de opiniões. Sabe-se bem que quando todos pensam a mesma coisa é porque ninguém está pensando. E este cenário é o ideal para os supremacistas: o "Pensamento Único".

Não é de hoje e nunca cessará a perseguição aos que não marcham sob o som do tambor do status quo amaldiçoado que nos massacra. A última foi da Amazon, do megajudeu Bezos. Vejam abaixo e percebam que não teremos vida fácil ou minimamente sadia enquanto não nos submetermos a seus desmandos.
FAB29

O poderoso chefão.

O multimilionário proprietário judeu da Amazon removeu os livros que demonstram a falsidade do "Trololocausto".


Jeff Bezos tem ativos de cerca de 80 bilhões de dólares após o crescimento da empresa que ele fundou. A Amazon conseguiu isso por causa de suas políticas liberais, mas agora mudou. Você iria perder tempo à procura de qualquer série de livros "Lições sobre o Holocausto", de Germar Rudolf, que tinham sido disponibilizados até agora no manual da Amazon. No entanto, todos os livros para o "holocausto" ainda estão na lista, incluindo as diatribes patéticas e anti-históricas de Deborah Lipstadt.
Mesmo o livro clássico e equilibrado por Thomas Dalton, "Debatendo o Holocausto: um novo olhar para ambos os lados", desapareceu das páginas da Amazon. O "outro lado" já não pode expor seus argumentos! Na realidade, nunca pôde, mas os degenerados  não podiam dar na vista, serem ansiosos na supressão das pesquisas dos contestadores.
Este é mais um passo para a criminalização do revisionismo do Holocausto, apresentando-a como uma questão de má reputação. No mínimo!