Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Compilação do "11 de setembro"

Amigos e amigas.
Um dos mais nebulosos, cabulosos e sórdidos eventos deste século eternamente suscitará todo tipo de denúncias e desconfianças. Uma delas (a que mais é ocultada e combatida pela vendida grande mídia) é a participação dos sionistas nesse episódio.

Segue abaixo uma compilação de 'curiosidades' que traduzi e extraí daqui, nas quais eles são os protagonistas no tema. No mínimo, deveriam ser investigadas a fundo e com isenção tais observações. As tergiversações e algaravias que as cercam dão margem às justificadas acusações que surgem.

Observem-nas e tirem suas conclusões.
FAB29

Resultado de imagem
Larry Silverstein
O judeu Lew Eisenberg foi o Comissário da Autoridade Portuária de Nova York a cargo das Torres Gêmeas no "11 de setembro", quando eram de propriedade pública.

O judeu Ronald Lauder foi diretor do programa de privatização de NY & NJ, do governador Pataki, quando foram privatizados.

Os judeus Larry Silverstein e Frank Lowy alugaram as Torres Gêmeas por 100 anos e elas foram destruídas 5 semanas depois.

Os judeus Silverstein e Lowy fizeram um seguro contra duplo ataque terrorista. Foram-lhes pagos 5 bilhões após a destruição.

O judeu Larry Silverstein e sua filha ficaram longe das Torres Gêmeas nesse "11 de setembro", perdendo as reuniões habituais no horário do café da manhã.

O sistema de mensagens baseado em Odigo, em Israel, alertou 4000 israelenses que trabalhavam em torno de Torres Gêmeas / Pentágono.

Apenas 4 israelenses foram mortos. Alex Diamandis, vice-presidente da Odigo, confirmou ao FBI que enviou uma mensagem 2 horas antes do ataque.

A empresa israelense ZIM Shipping cancelou o contrato de arrendamento no WTC e mudou-se poucos dias antes do "11 de setembro", pagando uma multa considerável por isso.

5 israelenses (Silvan & Paul Kurzberg, Oded Ellner, Omar Marmari e Yaron Schmuel) foram presos pelo "11 de setembro" (3 deles eram os "israelenses dançantes", que celebraram o ataque bailando).

2 suspeitos (israelenses), presos perto da Washington Bridge em uma van cheia de explosivos, foram notícia entre os americanos.

5 israelenses presos que falharam nos testes do detector de mentiras foram posteriormente liberados e admitiram na televisão israelense que foram enviados para NY para "documentar" o evento. Todos trabalharam para a empresa "Sistemas de Movimentação Urbana", uma empresa que, como confirmada, era uma fachada do Serviço Secreto de Israel, o Mossad.

O judeu Dominic Suter, dono de "Urban Removal Systems", fugiu para Israel depois da visita do FBI.

O edifício 7 não foi atacado, mas entrou em colapso no "11 de setembro". O colapso foi anunciado 20 minutos antes de acontecer pela BBC.
O judeu Larry Silverstein era também dono do prédio 7.

Larry Silverstein admitiu que "decidimos jogá-lo para baixo" (um termo que significa demolição).

O judeu Michael Chertoff foi assistente do procurador-geral responsável pela investigação criminal do "11 de setembro"; ele não ordenou uma prisão sequer !

Chertoff tornou-se posteriormente Secretário de Segurança Interna, libertando israelenses detidos.

Chertoff supervisionou a rápida destruição das evidências do "11 de setembro".

Os proprietários da sucata eram sionistas; cortaram o aço do WTC e o enviaram para a Ásia.

A empresa israelense de segurança ICTS comandava as câmeras CCTV e a segurança em todos os aeroportos relacionados com o "11 de setembro".

O judeu Ehud Olmert, prefeito de Jerusalém, estava secretamente em Nova York no "11 de setembro".

O judeu Ehud Barak, que estava em Londres no "11 de setembro", e Benjamin Netanyahu, que estava em Londres no "7 de Julho" (dia do ataque à cidade em 2005), foram alertados antes desses ataques.

O rabino judeu Dov S. Zacheim foi Controlador no Pentágono no "11 de setembro", quando US $ 2,3 trilhões desapareceram.

O judeu Michael Bloomberg foi prefeito de NY 12 anos depois do "11 de setembro".

O judeu Philip Zelikow, diretor executivo da Comissão, fez do relatório do "11 de setembro", um encobrimento completo !

O judeu Kenneth Feinberg foi diretor do Fundo de Compensação para famílias que receberam indenização.

O judeu Sheiler Birnbaum supervisionou os acordos com as 96 famílias que se recusaram a aceitar os pagamentos da Feinberg.

O judeu Elvin K Hellerstein, juiz federal, supervisionou os processos judiciais relacionados ao 11 de Setembro. Seu filho era um advogado de defesa para TICS !

Os judeus Kroll & Associates coordenavam a segurança do WTC com o judeu Maurice Greenberg, condenado pelo caso AIG.

Os judeus projetaram e dirigiram o 'Memorial do 11 de setembro'.

Antes e depois do "11 de Setembro", o Serviço Secreto dos Estados Unidos descobriu a maior rede de espiões judeus na história dos Estados Unidos e deportou mais de 200 israelenses, alguns se apresentando como 'estudantes de arte'.

Resultado de imagem para 11 de setembro farsa