Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Escravidão querida

Resultado de imagem para huxley
Aldous Huxley
Amigos e amigas.
"A ditadura perfeita terá a aparência da democracia, uma prisão sem muros na qual os prisioneiros não sonharão sequer com a fuga. Um sistema de escravatura onde, graças ao consumo e ao divertimento, os escravos terão amor à sua escravidão."

A profética e eternal frase de Huxley está às portas da hegemonia. Brevemente, nada escapará dela, como tanto querem e para tanto trabalham os grandes parasitas. O texto abaixo discorre sobre essa escravidão querida e consentida pela boiada humana. Uma reflexão simples e clara da extrema miséria moral, espiritual e cognitiva que espreita a humanidade, mas que não é vista como tal por esta. Extraído daqui.
FAB29

Saramago já nos advertia que estamos cegos da razão. Talvez seja o nosso ego, sempre inflado e se achando o dono do pedaço. Talvez seja pela nossa incessante incapacidade para amar. Podemos dizer que essa cegueira se alastra em função da facilidade. É sempre mais fácil andar sem olhar para o lado. Sem olhar para nós mesmos. Sem olhar para o que somos ou nos tornamos.
Cegos que somos, seguimos a doutrina da sociedade de consumo. Condicionados como bons soldados, não recusamos a missão de esvaziar um Shopping Center. Aprendemos desde cedo, que como partes do todo, devemos manter a ordem e, assim, não devemos transgredir as leis de ouro que tornam a sociedade contemporânea um reino de “felicidade”.
O sistema hegemônico, através da mídia, não nos deixa esquecer a importância de manter o sistema funcionando harmonicamente, e de que como ele é um bom senhor, devemos-lhes obediência e servidão. Servidão esta, construída por meio de chicotes ou força física? Não. Ora, se somos seres desejantes, então, nada melhor do que usar a mídia para nos seduzir.
Somos seduzidos pela promessa de felicidade escondida atrás do consumismo. Somos tentados por todos os sorrisos espalhados nas propagandas. Somos condicionados a acreditar que "a felicidade só me é possível se, e somente se, tenho condições de participar da orgia do consumo".

Imagem relacionada
Sendo assim, somos ludibriados por um sistema que nos entorpece e nos torna míopes que só enxergam a realidade pelos óculos que lhes são oferecidos. Tornamo-nos, dessa forma, servos voluntários do sistema, pois embora livres, nos permitimos condicionar e obedecê-lo. Sem espaço para a crítica ou autorreflexão, somos apenas reprodutores de uma cultura aprisionadora que qualifica como tolice qualquer prazer fora do consumo.
Imaginem que tolice, permitir que as pessoas se dedicassem a jogos complicados que não contribuíam em nada para o consumo. Atualmente, os Administradores não aprovam nenhum jogo novo, salvo se, se demonstrar que ele necessita, pelo menos, de tantos acessórios quanto o mais complicado dos jogos existentes.
A felicidade, portanto, deve ser comprada, aliás, somente existe se for comprada. Não há espaço para as coisas simples, para o que é “gratuito”. Para que possamos ser felizes e ter prazer, precisamos inexoravelmente consumir. Essa é a servidão voluntária através do consumo, não pela violência ou coerção, mas pela sedução e erotismo produzido nas relações de consumo.
Devidamente seduzidos pelo mercado, não conseguimos sair das suas entranhas. Não precisamos. Tudo é mercadoria. Ouvimos o tempo inteiro a voz do mercado, com seus alto-falantes que denunciam qualquer ato de “tolice” e nos lembram incessantemente a necessidade vital de consumir, pois como bem atenta Huxley:
 “Sessenta e duas mil repetições fazem uma verdade.
Todos esses mecanismos de controle social escondem um autoritarismo com o qual nos acostumamos e aceitamos, pela indisposição em ser mais que um pacote de biscoitos e um par de sapatos. Preferimos estar cegos e condicionados que se opor ao sistema. Estamos, assim, mais que cegos da razão, estamos, como diz Bauman, em uma cegueira moral.
Somos subservientes a um sistema que racionaliza as emoções e que transforma a vida em uma longa linha de produção, de modo que não existe outro caminho a uma vida prazerosa sem passar por ela. Somos cegos admirando os caminhos líquidos de um mundo novo.
O admiramos, pois fomos seduzidos pelo encanto e enlace erótico de um mundo que me permite ser um novo a cada dia, em que não se precisa de laços e que, portanto, cada um é um fim em si mesmo. Somos servos voluntários, pois nós mesmos nos fazemos dominar. Entretanto, esquecemos que esse sistema hegemônico através da sedução que nos domina, mantém o status quo de opressão e escravidão.
Como diz Bauman: A vida desejada tende a ser a vida vista na TV. Mas, a vida vai além de padrões de comportamento, de cartilhas, senhas e números. Vai além de escravidão e dominação. Vai além de reproduzir as verdades da mídia. Vai além de um cartão sem limites. Vai além de algumas polegadas. Ainda que para enxergar esse além, seja preciso coragem para sair do cinema e visitar a própria vida.

10 comentários:

  1. Huxley acertou! Mas eu digo que depois de 1945, "nois" vivemos numa ditadura assassina chamada de "holocau$to" imposta ao mundo inteiro, e em especial sobre a Europa, e mais especial ainda sobre a Alemanha!!!! Um abraço e sucesso no ano 2018!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com o atual requinte de crueldade chamado imigração tsunâmica. Assim, todos os vestígios da civilização caucasiana podem se diluir em menos de um século.

      Grato pela deferência e é recíproca.

      Excluir
  2. Por coincidência, acabei de ler o Discurso Sobre a Servidão Voluntária de Etienne e vim aqui e me deparo com o mesmo assunto.

    Curioso é que Etienne conta:

    "Mas esse estratagema com que os tiranos humilham os súditos
    está, mais do que em qualquer outro lado, explicitado no que Ciro fez
    aos lídios, depois de se ter apoderado de Sardes, capital da Lídia,
    quando aprisionou o riquíssimo rei Creso e o levou cativo. Trouxeram-lhe
    a notícia de que os de Sardes se tinham revoltado. Ter-lhe-ia sido
    fácil dominá-los.
    Não desejando saquear uma tão bela cidade nem querendo
    destacar para lá um exército que a vigiasse, recorreu a um outro
    expediente. Fundou nela bordéis, tabernas e jogos públicos e publicou
    um decreto que obrigava os habitantes a freqüentá-los.
    Tão bons resultados teve esta guarnição que foi desnecessário
    daí em diante levantar a espada contra os lídios. Os desgraçados
    divertiram-se a inventar toda a casta de jogos, de tal forma que a
    palavra latina usada para significar “passatempos” é a palavra “ludi”,
    que vem de “Lydi”, lídios."

    O negócio é muito antigo e ainda funciona!!!

    ResponderExcluir
  3. O objectivo supremo da propaganda é conseguir que milhões de pessoas forjem entusiasticamente as grilhetas da sua própria servidão [Emil Maier-Dorn].

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Objetivo gloriosamente alcançado pelo parasitismo supremacista.

      Excluir
  4. Que todos entendamos que só puxando a descarga...

    https://br.sputniknews.com/europa/2018011210263469-doador-fecais-hospital-dinamarca/

    E que a coisa não esteja entupida!!!!

    Se existem tiranos suficientemente lixos para parasitarem seres que precisam comer excremento, creio que nem com enema total a coisa melhora, a coisa é séria!
    Pelo jeito finalmente a merda já não está dando para todos!
    Eu devo ser oráculo... :´D :´D :´D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raymond Rife já quer se mudar para Plutão que o pariu...

      Excluir
    2. O incrível é que ganha R$ 80,00 por cagada.

      " Contudo, registrar-se como doador de fezes é muito difícil. De 700 voluntários do mundo ocidental, somente três foram selecionados, pois apenas um por cento dos ocidentais têm uma flora intestinal suficientemente saudável para ser transplantada."

      Mas, até merda boa tá difícil de encontrar. :-D

      Excluir
    3. Também, com tanta merda que comem,...

      Excluir