Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Devemos rir ?

Amigos e amigas.
Recebi há um bom tempo uma lista de tipos de assassinatos e outros "exotismos" que 'testemunhas' afirmam ter ocorrido durante a 2ª Guerra Mundial.
São coisas deste tipo que sempre me farão questionar qualquer coisa sem me preocupar de ser tachado de racista, nazista, talmudista ou qualquer "ista".
Leiam-na abaixo e vejam se várias não são risíveis (no mínimo).
FAB29

Assassinatos (e afins) na 2ª Guerra
  1. - Gêiseres de sangue a partir das covas coletivas; confirmado por testemunhas famosas como Elie Wiesel, Adolf Eichmann e Adalbert Rückerl, diretor da central para esclarecimento dos crimes nacional-socialistas, passou-a para frente, assim como o tribunal do processo sobre Auschwitz, em Frankfurt.
  2. Covas coletivas explodiam, segundo Eichmann.
  3. - Barril para banho com ácido ou água fervente para a obtenção de esqueleto humano; Filip Müller afirmou isto sobre Auschwitz.
  4. Injeções nos olhos dos detentos para alteração da cor dos olhos; Hermann Langbein espalhou isso sobre Auschwitz.
  5. - Extração de gordura fervente das incinerações a céu aberto; sobre isso relataram R. Höß, H. Tauber, F. Müller e espalhado por Langbein.
  6. Um homem das SS pula no último segundo junto com uma desconhecida mãe e seu filho, por pura compaixão, para morrer com eles na câmara de gás; essa história vem de Emmi Bonhoeffer.
  7. - Fabricação de sabão a partir da gordura humana. Afirmado por Simon Wiesenthal e pelo juiz da SS Konrad Morgen.
  8. Genocídio subterrâneo em enormes galpões através de alta tensão; as famosas histórias de S. Szende sobre Belzec, semelhante também com aquelas de S. Wiesenthal assim como foi afirmado em Nuremberg para Bergen-Belsen (!).
  9. - Assassinato em câmaras de vácuo ou em vapor d’água e gás clorídrico; diversas testemunhas e “relatórios” sobre o campo de Treblinka.
  10. Eliminação (sem rastros) de covas coletivas com milhares de cadáveres em poucas semanas; isso é alegado por muitas testemunhas e “relatórios” para praticamente todos os supostos locais das matanças pelos alemães.
  11. - Câmara de gás móvel em Treblinka, a qual esvaziava suas vítimas diretamente nas valas de incineração; afirmado pela resistência polonesa e levado a sério pelo historiador do Holocausto P. Longerich.
  12. Gás letal com ação retardada que possibilitava suas vítimas a deixarem a câmara de gás e irem por si só até as covas coletivas; afirmado pela resistência polonesa e levado a sério pelo historiador do Holocausto P. Longerich.
  13. - Execuções em uma linha de produção eletrificada; assim o Prawda anunciou após a libertação de Auschwitz (2/2/1945).
  14. Incineração de cadáveres em Altos-Fornos. Esse rumor foi espalhado pelo membro da resistência, o alemão H. von Moltke durante a guerra e depois o Prawda, levado a sério pelo historiador do Holocausto P. Longerich.
  15. - Corrida de bicicletas da SS na câmara de gás de Birkenau; segundo Notícias de Nuremberg, citando uma testemunha.
  16. Eliminação de cadáveres através de explosão; testemunho de Rudolf Höß obtido sob tortura e levado a sério pelo promotor A. Rückerl e Helge Grabitz.
  17. - Canto do hino nacional e da Internacional comunista pelas vítimas nas câmaras de gás; F. Müller assim como as declarações citadas por H.G. Adler, H. Langbein e E. Lingens-Reiner.
  18. Enchimento das bocas das vítimas com cimento, para evitar que cantassem canções patrióticas ou comunistas; afirmado em Nuremberg.
  19. - Jovem de 12 anos profere na câmara de gás, antes do gaseamento, um discurso impressionante e heróico diante das outras crianças; segundo afirmação de F. Friedman.
  20. Casinhas para gaseamento de rápida construção, para que os judeus fugitivos pudessem ser imediatamente gaseados após a recaptura; Adolf Eichmann relatou isso após tratamento especial através de seus carrascos israelenses.
  21. - Assassinato através da ingestão de um copo de ácido cianídrico líquido (ácido cianídrico não é encontrado como substância que possa ser despejada como líquido em um copo; além disso, ele evapora muito rápido, o que colocaria em perigo as pessoas do entorno); Veredicto do Tribunal de Hannover, segundo Heiner Lichtenstein.
  22. Os músculos retirados das pernas dos detentos executados tremiam tanto, que o reservatório onde estavam balançava muito; este absurdo anatômico e físico foi espalhado por F. Müller.
  23. - Encanamento para introdução do Zyklon-B nas câmaras de gás de Auschwitz e outros lugares através de chuveiros ou garrafas de aço; relatório da comissão de Dachau e Auschwitz assim como segundo historiador Wolfgang Benz.
  24. Enchimento total de um detento com água, até que ele explodisse. [#1038]
  25. - Criança sobrevive a seis gaseamentos na câmara de gás de Bergen-Belsen (que comprovadamente nunca existiu); reportado por Moshe Peer a um jornal canadense.
  26. Mulher sobrevive a três gaseamentos, porque os nazistas não mantinham o gaseamento constante; testemunhos relatados no mesmo jornal canadense, também afirmado pelo político britânico Michael Howard. [#1039]
  27. - Lendas sobre ursos e águias em uma gaiola, que comiam um judeu diariamente; declaração sobre o Campo de Buchenwald.
  28. Fabricação de lingüiça no crematório a partir da carne humana pela SS (“RIW” – “Reine Juden Wurst”: Pura lingüiça judia?); afirmado por David Olère, o pintor fantasioso de Auschwitz.
  29. - Abajures, capas de livros, luvas, selas, calças de equitação, sapatos, bolsas femininas... de pele humana; afirmado em Nuremberg e novamente durante o processo contra Ilse Koch.
  30. Quadros pornográficos em tela de pintura feitos com pele humana; da mesma forma afirmado em Nuremberg.
  31. - Dedões humanos mumificados foram usados por Ilse Koch como interruptores elétricos; testemunhos divulgados pelo New York Times.
  32. Pai SS joga bebês para o ar e atira neles como se o fizessem com pombos, enquanto a filha de 9 anos aplaude e grita: “Papa, mais uma vez, mais uma vez, Papa!”; afirmado em Nuremberg.
  33. - Juventude hitlerista usa crianças judias como treinamento de tiro; afirmado em Nuremberg.  
  34. Vagões de trem desaparecem numa rampa no crematório subterrâneo de Auschwitz; segundo o juiz da SS Konrad Morgen, citado pela historiadora polonesa de Auschwitz, Danuta Czech.
  35. - Prisioneiros foram forçados, limpar a escada lambendo-a e juntar o lixo com a língua; afirmado em Nuremberg.
  36. Mulheres foram inseminadas artificialmente em Auschwitz e, então, gaseadas; afirmado em Nuremberg. 
  37. - Tortura de detentos com uma “caixa de torturas” especial, fabricadas em série pela Krupp; afirmado em Nuremberg.
  38. Tortura de detentos, onde balas de madeira foram disparadas contra eles para que os forçassem a falar; segundo o Congresso Mundial Judaico.
  39. - Espancamento de detentos através de uma máquina especial para espancamento; afirmado em Nuremberg.
  40. Assassinato de detentos com limonada envenenada; afirmado em Nuremberg.
  41. - Assassinato através da queda de árvores: forçava-se as vítimas a subir nas árvores, e então deixavam-na cair; afirmado em Nuremberg e por Eugene Kogon.
  42. Assassinato de jovens através da alimentação forçada de areia; Rudolf Reder, levado a sério pelo historiador do Holocausto Martin Gilbert.
  43. - Gaseamento de prisioneiros de guerra soviéticos em uma pedreira; afirmado em Nuremberg.
  44. Prisioneiros foram, primeiro, espancados até a morte, e, então, autopsiados para descobrir a causa da morte; afirmado em Nuremberg.
  45. - Moagem de crânio através de máquina a pedal para destruir crânios, acompanhado de programação radiofônica; afirmado em Nuremberg.
  46. 840 mil prisioneiros de guerra soviéticos assassinados em Sachsenhausen e queimados em quatro crematórios móveis; afirmado em Nuremberg.
  47. - Extermínio instantâneo de 20.000 judeus na Silésia através da detonação de uma bomba atômica; afirmado em Nuremberg.