Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quarta-feira, 4 de abril de 2018

Grilhões

Amigos e amigas.
Tanto se fala dos horrores da 2ª Guerra Mundial. Tudo bem que não conheço nada mais covarde, criminoso e desumano do que uma guerra. Ela é o ápice das loucura e degradação humana e seus objetivos são a dominação e o lucro. É lógico que se pode perguntar: "QUE LUCRO?!" Realmente, onde poderia haver lucro em tanta morte, sofrimento e destruição? Tão simples quanto degradante:


Resultado de imagem para guerra do balde modena
O balde da discórdia
Qualquer guerra só acontece quando um lado quer dominar o outro, tomando posse de tudo que o derrotado tiver. Na historiografia das guerras, já ocorreu uma por causa um BALDE (ao lado), entre as cidades italianas de Modena e Bolonha. Durou 12 anos (!!) e Modena "venceu"! Mas as maiores são por causa de território, petróleo, escravos, ouro, etc. Mais "modernamente", os fomentadores da guerra são apátridas, não defendem nenhum povo, ideal ou bandeira. Visam apenas e tão somente o lucro e a dominância mundiais.

Eles "investem" nos dois lados, criam intrigas, mal estar, desunião, desconfianças e ficam de camarote, esperando qual lado sobrevive. Em seguida, "propõem ajuda" AOS DOIS LADOS na reconstrução de suas vidas.  E ambos os lados, arrasados, se sujeitam aos ditames desses 'Grandes Corruptores'. Sordidez absoluta. Baita negócio, não?

Mas quero me referir às desumanidades de hoje, aludindo às insistentes lembranças dos horrores da 2ª Guerra. Quem se informa só um pouco já percebe que os horrores de hoje são sem precedentes. Ouso dizer que já superam os da 2ª Guerra. A imensidão de iniquidades aterroriza: milhões de assassinatos, pedofilia, sequestros, tráficos, perversões, magia negra, suicídios, conflitos fratricidas, usura, misérias, desempregos, corrupções de todos os tipos,... Tudo isso e mais EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO! Sem dúvidas, a maior parte desses desesperos permeia nossa vida, a espreitando, à espera de uma oportunidade, um vacilo nosso para afetá-la de vez.

Hoje mesmo, ouvi mais uma vez sobre a superlotação de um presídio, onde sua capacidade foi superada em mais de 100% e, assim, todo tipo de desgraças grassa por lá: doenças, abusos, massacres, desnutrição, tráfico, violência para todo desgosto. Por si só, a assistência nos hospitais públicos do SUS já é o desastre que todos conhecemos, sentimos na pele, até! Nesses presídios, inexistem pois o estado parasita desvia quase todos os recursos destinados ao Fundo (bem fundo) Penitenciário, que conta com quase R$ 3 bilhões de reservas.

Resultado de imagem para wiesel elie
Fantoches
É público, notório e massificado as 'istórias' sobre os campos de concentração da 2ª Guerra, que vários classificam como "Campos de Extermínio". O complexo Auschwitz/Birkenau é o mais conhecido e o mais famoso sobrevivente deste campo é o nada saudoso Nobel da Paz de 1986, Elie Wiesel. Em seu livro "A noite", de 1958, ele relata várias situações nesse campo. A esmagadora maioria delas é absolutamente comum a QUALQUER PRESÍDIO DO MUNDO ATUAL, inclusive que eles tinham de TRABALHAR para o esforço de guerra alemão, produzindo centenas de coisas. Conta que, muitas vezes, chegavam a ficar muitos dias sem ter NADA PRA FAZER. Por isso, dormiam o dia inteiro. E havia ASSISTÊNCIA MÉDICA em Auschwitz para os prisioneiros. O próprio Wiesel, judeu, foi operado em JANEIRO DE 45, finzinho da guerra, poucos dias antes da invasão do exército russo que fechou o campo.

Patético! Se até no dito "mais terrível campo de extermínio da História" havia esse mínimo de humanismo (sempre ocultado pela mídia dos vencedores), por que a humanidade suporta tão passivamente tanta sordidez permeando sua vida? A liberdade que nos delegam é criminosa (se bem que o poveco não tem a menor idéia do que fazer com ela). Que lixo de "liberdade" é essa que nos controla como gado e nos confina em um "olho-de-furacão" de iniquidades? Que nos enche de dúvidas, medos, limites? Que nos aliena com brilhos fugazes, promessas fugidias, esperanças surreais? Que os 'Grandes Corruptores' usam para sedar todo raciocínio, abafar toda revolta, podar toda evolução? A que ponto teremos de chegar para o povinho acordar e iniciar uma mínima revolução? A guerra por uma sobrevivência digna é tem de ser feroz e sem tréguas. Qualquer hesitação é prato cheio aos parasitas.

O sofrimento tem várias funções. A mais importante é forjar o caráter e a perseverança. Sempre que passamos por um, as sequelas nos fortalecem em todos os sentidos, principalmente o mental. Mas quem vive tentando manter o passado vivo (principalmente o deturpando) é, na melhor das hipóteses, um triste ser humano.  Infinitamente pior se o usa para lucrar. Passado é aprendizado. Se foi bom, tentamos melhorá-lo no presente; se não, evitamos cometer os erros que nos levaram a vivê-lo.

E tudo indica que vai demorar muito para que o poveco pare de ver, ler e ouvir sobre esse assunto (2ª Guerra e, por extensão, nazismo, holocausto, etc). Afinal, reiterando as palavras mágicas que mandam: LUCRO E DOMINAÇÃO!
FAB29