Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


quarta-feira, 20 de junho de 2018

Ilações newtonianas

Amigos e amigas.
Encontrei algumas argumentações do próprio "Pai da Gravidade", Sir Isaac Newton, sobre a mesma. Achei-as tão interessantes que resolvi expô-las aqui, juntamente com outras observações a respeito dessas argumentações.

Não podemos nunca nos esquecer que o que nos é dito sobre a gravidade (por exemplo, na imagem mais abaixo) se choca com o que é afirmado pelo Heliocentrismo e esmiuçado pela Ciência moderna (em especial, as decantadas e incríveis "velocidades desenvolvidas pelos astros através do universo que criam a grotesca Teoria do Vórtex").



Some-se ao físico-stand up "Desgraça" Tyson que, entre outras, afirmou que a Terra sequer é um globo, mas, sim, "tem formato de pera", só para tentar justificar este fato:

"Cálculos de Sydney, na Austrália, para Wellington, Nova Zelândia, em uma média de 37,5 graus sul, deram uma circunferência de mais de 41.000 quilômetros. De acordo com a teoria da Terra esférica, a circunferência da Terra a 37,5 graus de latitude sul deveria ser de somente 31.700 km, quase 10.000 km a menos que tais medidas práticas."

Dêem mais esta olhada sobre o assunto que, estou certo, nunca sairá da controvérsia. Afinal, se a nasa capitulasse, tudo o que ela inventou até hoje a esmagaria para sempre e toda a História começaria a ser reescrita, num Efeito Dominó sem precedentes. E a concessão de tal milagre ao gado humano é impensável.
FAB29

Resultado de imagem para gravitação
Fórmulas não faltam. Provar, que é bom,...
Palavras do próprio Isaac Newton, o pai da "Lei da Gravitação Universal' :
"É inconcebível que a matéria bruta inanimada deva (sem a mediação de outra coisa que não seja material) operar e afetar outras matérias sem contato mútuo; como deve se "gravitação" no sentido de Epicuro ser essencial e inerente a ela. E esta é uma razão pela qual eu desejei que você não atribuísse "gravidade" inata à mim. Essa "gravidade" que deve ser inata, inerente e essencial à matéria, de modo que um corpo possa agir sobre outro a distância, através de um vácuo, sem a mediação de qualquer outra coisa, e através da qual sua ação ou força possa ser transmitida de um para outro é para mim um absurdo tão grande que acredito que nenhum homem que tenha em questões filosóficas alguma faculdade competente de pensamento possa cair nele. "Gravidade" deve ser causada por um agente que age constantemente de acordo com certas leis, mas se esse agente é material ou imaterial é uma questão que deixei para a consideração de meus leitores. "
- Isaac Newton - Richard Bentley" 189.R .4,47, ff. 7-8, Trinity College Library, Cambridge, Reino Unido, 1692 ”
Newton, notas estudantis sobre Descartes:
"A "Gravidade" é uma força em um corpo que o impele a descer. Aqui, no entanto, por descendência não significa apenas um movimento em direção ao centro da terra, mas também em direção a qualquer parte ou região."
Sua crença naquela época era a de que, para citar Westfall:
"Gravidade" (peso) é causada pela descida de uma matéria sutil invisível que atinge todos os corpos e os leva para baixo."
Na década seguinte, e derivando de seus estudos alquímicos (A Alquimia é uma das principais práticas Ocultistas), Newton desenvolveu seus pontos de vista sobre o funcionamento da "gravidade" - aether. Conforme comunicado à notória academia Ocultista Maçônica 'Royal Society', do Rosacruzianismo, em dezembro de 1675 :
Newton: "Em que a descida pode carregar com ela os corpos que ela permeia com uma força proporcional à superfície de todas as suas partes em que ele age. Em outras palavras, quanto maior a superfície do corpo, maior a força da gravidade agindo sobre isto. Após a condensação, este éter de "gravidade" desce para as entranhas da terra para ser refrescado e, em seguida, surge até que "desaparece novamente nos espaços etéreos".
Aqui está uma carta de Newton para Halley, descrevendo como ele chegou independentemente à tal lei usando sua hipótese de Éter, a qual ele se refere como o "espírito descendente":
Agora, se este espírito desce de cima com velocidade uniforme, sua densidade e, conseqüentemente, sua força serão reciprocamente proporcionais ao quadrado de sua distância do centro. Mas se desceu com um movimento acelerado, sua densidade diminuirá tanto quanto a velocidade aumenta, e assim sua força (de acordo com a hipótese) será a mesma de antes, que ainda é reciprocamente como o quadrado de sua distância do centro."
Vejamos agora o troco: diversas citações bibliográficas nas quais Newton e a sua intrujice gravitacional são veementemente contestados:
A maioria das pessoas na Inglaterra leu ou ouviu que a teoria de 'gravitação' de Sir Isaac Newton foi originada por ele ter visto uma maçã cair na terra de uma árvore em seu jardim. Pessoas dotadas de bom senso comum diriam que a maçã caiu na terra porque, a granel, era mais pesada que o ar circundante; mas se, em vez da maçã, uma pena fofa tivesse sido destacada da árvore, uma brisa provavelmente teria enviado a pena flutuando para longe, e a pena não alcançaria a terra até que o ar ao redor ficasse tão parado que, em virtude de sua própria densidade, a pena cairia no chão.
- Lady Blount, “Clarion's Science Versus God's Truth” (“A ciência de Clarion versus a verdade de Deus ”)
Wilbur Voliva, um famoso Terra planista do início do século 20, deu palestras por toda a América contra a Astronomia Newtoniana. Ele começava andando no palco com um livro, um balão, uma pena e um tijolo, e perguntava ao público:
Qualquer objeto que seja mais pesado que o ar e que não seja sustentado, tem uma tendência natural a cair pelo seu próprio peso. A famosa maçã de Newton em Woolsthorpe, ou qualquer outra maçã quando madura, perde o seu caule e, sendo mais pesada que o ar, cai por terra, independentemente de qualquer atração da Terra. Pois, se tal atração existisse, por que a Terra não atrai a fumaça que não é tão pesada quanto a maçã? A resposta é simples - porque a fumaça é mais leve que o ar e, portanto, não cai, mas sobe. "Gravitação" é apenas um subterfúgio, empregado por Newton em sua tentativa de provar que a Terra gira em torno do Sol, e quanto mais rápido ele for relegado à tumba de todos os Capuletos, melhor será para todas as classes da sociedade. "
Em : David Wardlaw Scott, 'Terra firma : The Earth not a planet, proved from scripture, reason and fact' (“Terra Firme: A Terra Não é um Planeta Provado da Escritura, Razão e Fato”), David Wardlaw Scott, London : Simpkin, Marshall, 1901.
A 'teoria da gravitação' é dita pelos defensores do sistema Newtoniano de Astronomia, a maior descoberta da ciência e a fundação de toda Astronomia moderna. Se, portanto, se pode ser mostrado que a gravitação é uma pura suposição e uma imaginação da mente apenas, que ela não tem existência fora do cérebro de seus expositores e defensores, toda a hipótese dessa moderna e pretensa chamada 'ciência' irá cair no chão tão achatada quanto a superfície do oceano, e essa "mais exata de todas as ciências", essa maravilhosa "façanha do intelecto" torna-se ao mesmo tempo a mais ridícula superstição e a mais gigantesca impostura para a qual a ignorância e a credulidade poderiam ser exposto.
- Thomas Winship,“ Zetetic Cosmogony: Or Conclusive Evidence that the World is not a Rotating Revolving Globe but a Stationary Plane Circle” ("Cosmogonia Zetética: Ou Evidências Conclusivas de que o Mundo não é um Globo Giratório Rotativo, mas um Círculo Plano Estacionário"), 1897.
Que o caminho do Sol é um círculo exato por apenas cerca de quatro períodos em um ano, e depois de apenas algumas horas - nos equinócios e solstícios - desmentem completamente o 'poder' da gravitação circular e, conseqüentemente, de todas as gravitações… Se o Sol tivesse poder suficiente para reter a Terra em sua órbita quando o Sol mais próximo, quando a Terra chegasse naquela parte de seu caminho elíptico mais distante do sol, a força atrativa (a não ser muito aumentada) seria totalmente incapaz de impedir que a Terra se apressasse para o espaço "em uma linha reta para sempre", como dizem os Astrônomos.
Por outro lado, é igualmente claro que, se a atração do Sol fosse suficiente apenas para manter a Terra em seu caminho correto, quando estivesse mais distante do sol, não evitaria que ela corresse para o espaço; o mesmo poder de atração quando a Terra estava mais próxima do Sol seria muito maior, que (a menos que a atração fosse muito diminuída) e portanto nada impediria que a Terra se apressasse e fosse absorvida pelo sol, não havendo nenhum foco de contrabalanço para evitar tal uma catástrofe!
Como a Astronomia não faz referência ao aumento e diminuição da força atrativa do Sol, chamada 'Gravitação', para os propósitos acima necessários, somos novamente forçados a concluir que a grande "descoberta" de que os astrônomos são tão orgulhosos é absolutamente não-Existente.
- Thomas Winship,“ Zetetic Cosmogony: Or Conclusive Evidence that the World is not a Rotating Revolving Globe but a Stationary Plane Circle” ("Cosmogonia Zetética: Ou Evidências Conclusivas de que o Mundo não é um Globo Giratório Rotativo, mas um Círculo Plano Estacionário"), 1897.
Newton nos pede que acreditemos que a ação da 'gravitação', que podemos facilmente superar com o menor exercício de vontade de levantar uma mão ou um pé, é tão violenta quando perdemos nosso equilíbrio e caímos a poucos metros, que essa força, que é imperceptível sob condições usuais, pode, sob circunstâncias extraordinárias, causar a fratura de cada membro que possuímos? O senso comum deve rejeitar essa interpretação. A "gravitação" não fornece uma explicação satisfatória dos fenômenos aqui descritos, ao passo que a definição de peso já dado o faz, pois um corpo que busca, da maneira mais rápida, seu nível de estabilidade produziria precisamente o resultado experimentado.
Se a influência que nos manteve firmemente presos a esta Terra fosse idêntica àquela que é poderosa o suficiente para perturbar um 'Planeta' distante em sua órbita, deveríamos estar mais imediatamente conscientes de sua presença e potência magistral; Considerando que esta influência é tão impotente no lugar onde é suposto ser mais dominante que encontramos uma dificuldade insuperável em aceitar a idéia de sua existência.
- Newton Crosland ,“ The new principia, or the astronomy of the future: An essay explanatory of a rational system of the universe" (O novo princípio, ou a astronomia do futuro: Um ensaio explicativo de um sistema racional do universo "), 1884.
Eu me lembro de ser ensinado quando menino que a Terra era uma grande bola girando em um ritmo muito rápido em torno do Sol e, quando eu expressei para minha professora meus receios de que as águas dos oceanos caíssem, me disseram que elas são impedidas de fazê-lo A grande teoria de Newton de "Gravitação", que mantém tudo em seu devido lugar. Presumo que meu semblante deve ter mostrado alguns sinais de incredulidade, pois meu professor imediatamente acrescentou: posso mostrar-lhe uma prova direta disso; um homem pode girar em torno de sua cabeça um balde cheio de água sem ser derramado, e assim, da mesma maneira, os oceanos podem ser levados ao redor do Sol sem perder uma gota.
Como esta ilustração foi evidentemente destinada a resolver o assunto, eu não disse mais nada sobre o assunto. Se tal fosse proposto para mim como homem, eu teria respondido da seguinte forma:
- Senhor, eu imploro para dizer que a ilustração que você deu de um homem girando um balde de água em volta de sua cabeça e os oceanos girando em torno do Sol, não confirma em nenhum grau seu argumento, porque a água nos dois casos é colocada sob circunstâncias completamente diferentes. Para valerem, as condições em cada caso devem ser as mesmas, que aqui não são. O balde é um vaso oco que contém a água dentro dele, enquanto, de acordo com o seu ensino, a Terra é uma bola, com uma curvatura contínua no exterior, que, de acordo com as leis da natureza, não poderia reter água.
- David Wardlaw Scott, 'Terra firma : The Earth not a planet, proved from scripture, reason and fact' (“Terra Firma: A Terra Não é um Planeta Provado da Escritura, Razão e Fato”), David Wardlaw Scott, London : Simpkin, Marshall, 1901.
"Gravidade" é simplesmente densidade e flutuabilidade. As pessoas argumentam que coisas com densidades diferentes caem na mesma proporção pelo ar. No entanto, isso ocorre porque ambos os itens atingiram densidade crítica em relação ao seu meio: ar. Se você mudasse o meio do ar para dizer, água ou mercúrio líquido, a densidade crítica para atingir a mesma taxa de queda aumentaria significativamente. A densidade crítica é diretamente proporcional à densidade média. Assim, o mais denso é o meio.
Quanto mais densos os objetos teriam que ser para atingir a mesma taxa de queda. Uma bola de basquete e uma pedra podem cair na mesma velocidade no ar. Contudo. Solte-os em um meio mais espesso como a água. E eles não vão cair no mesmo ritmo. Isso porque a densidade crítica não foi alcançada tanto pela rocha como pelo basquete, na água como meio. No vácuo, a densidade crítica é zero e é a razão pela qual os objetos de qualquer densidade caem exatamente na mesma taxa. Qualquer meio mais denso que um vácuo tem uma densidade crítica maior que zero. Assim, a razão pela qual objetos que não atingiram a densidade crítica caem mais lentamente em certos meios. A variação crítica da densidade é "gravidade".
- Darrell Dragoo
"A "Gravidade" é o eletromagnetismo em uma terra plana. A densidade aumentará o eletromagnetismo. Então, calor, pressão e atrito, Interação estática, Som."
- Thomas Jason Hannsz
Quando a "gravidade" foi inventada, a eletricidade nem tinha sido descoberta.
"A Terra-Globo não existe; a 'gravidade' não existe; os dinossauros nunca existiram; os alienígenas não existem; o coelho Ishtar não existe; a Fada dos Dentes não existe e o Papai Noel não existe, nem os dragões. Seria legal se todos eles existisse, mas eles não existem.
- Paul Michael Bales
300 anos após a publicação da obra "Philosophiae Naturalis Principia Mathematica", publicada em 1687 pelo Ocultista maçom praticamente assíduo de Alquimia Isaac Newton, que descreve a 'lei da gravitação universal', a Estacionalidade terrestre e a existência do Éter provaram-se ser verdades com os experimentos científicos incontestáveis, observáveis, mensuráveis e repetidamente testáveis de Michelson-Morley, Michelson-Gale, Efeito Sagnac, Efeito De Palma, Efeito Kozyrev, Efeito Lamoreaux , Efeito Allais, Efeito Biefeld-Brown e Falha de Airy.