Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Envenenamento II - a missão

Amigos e amigas.
Para completar o post anterior, acrescento esta obviedade tão amada pela maioria, a despeito da sua capacidade degenerativa ao organismo. Concorrendo com os alimentos industrializados, são os mais insidiosos inimigos da saúde. Um, por disfarçar a podridão galopante da carne (dando-lhe um "odor agradável ao Senhor"); outro, por acidificar imensamente o organismo.

Não é aprofundado; apenas o mínimo ideal para que se compreenda e conclua que frituras e refrigerantes deveriam ser eliminados de nossa dieta. Sublinhados são meus. Extraído daqui.
FAB29
frituras euatleta (Foto: Getty Images)
"Gostoso Veneno" ?!
As frituras são saborosas, por isso não é fácil eliminá-las da dieta. Mas saber que fazem mal torna o desafio mais simples. Conheça os efeitos negativos dessa forma de preparo tão freqüente à mesa dos brasileiros.

1) Até os óleos vegetais de boa qualidade se transformam em gordura ruim quando aquecidos. Não basta prestar atenção ao óleo utilizado, seria preciso fritar os alimentos pelo menos tempo possível para reduzir os danos.

2) O óleo reutilizado se transforma em gordura trans-saturada, a famosa gordura trans, que está diretamente relacionadas às doenças cardiovasculares. Em casa, jamais reutilize o óleo da fritura para outros alimentos.

3) A fritura pode promover a formação da substância acroleína, que é altamente cancerígena.

4) Os alimentos fritos tem características inflamatórias, ou seja, podem trazer acúmulo de gordura abdominal e resistência à insulina, fazendo com que você se sinta mais cansado, com menos energia, passe a ser menos fértil e absorva menos os nutrientes dos alimentos.

5) Gorduras encontradas nas frituras, quando consumidas em excesso, podem causar aumento da pressão arterial.

Resultado de imagem para refrigerantes venenos
Doce veneno
Companheiro fiel das batatas fritas e hambúrgueres, o refrigerante só piora a equação entre a alta quantidade de calorias e o baixo valor nutricional. Mesmo em versões diet, é fácil elencar cinco motivos para tira-lo da dieta.

1) Um dos componentes dos refrigerantes tipo cola é o ácido fosfórico ou fósforo, que elimina o  cálcio dos ossos, deixando-os mais fracos. Isso leva a um maior o risco de osteoporose, principalmente em mulheres.

2) O consumo em excesso de bebidas adoçadas leva à obesidade que, por sua vez, aumenta os riscos de outras doenças, como diabetes, câncer e problemas cardíacos. No caso dos refrigerantes, o agravante é que são calorias vazias, sem valor nutricional.

3) O organismo gasta nutrientes para conseguir eliminar a ingestão da química presente no refrigerante do corpo, sendo a versão diet ainda pior pela grande quantidade de adoçante artificial.

4) Quando consumido junto às refeições, o refrigerante dificulta a absorção de fósforo, ferro e cálcio contidos nos alimentos.

5) Todos os refrigerantes, diet ou normais, possuem grande concentração de sódio, que pode provocar um aumento da pressão arterial.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Envenenamento

Amigos e amigas.
Já há muito é sabido que o ser humano é um animal essencialmente herbívoro, podendo toscamente (hoje em dia, nem tanto) ser carnívoro em condições e situações especiais de sobrevivência. Desde nossa dentição, com oito incisivos para cortar mato e doze molares para triturá-lo adequadamente, até a imensa extensão de nosso intestino delgado e suas vilosidades, nosso organismo se mostra todo adequado a assimilar perfeitamente frutas, verduras e legumes.
Segue abaixo um dos tantos artigos que mostra como a carne tem grandes malefícios que suplantam imensamente seus benefícios, o que a torna, no mínimo, dispensável. Os sublinhados são meus. Extraído e adaptado daqui.
FAB29

Resultado de imagem para carne veneno
Maquiagem para não assustar os sensíveis

Carnes

São produtos ricos em toxinas (cadaverina, putrescina, indol, escatol, fenol, etc) o que os caracteriza como alimentos cujos malefícios superam os benefícios.

Nos indivíduos de trânsito intestinal lento e mais gravemente naqueles que sofrem de prisão de ventre, ao permanecer nos intestinos, a carne entra em intensa putrefação e difusão das citadas toxinas, que reduzem a resistência a infecções e dão tolerância maior às bactérias patogênicas, levando a uma maior tendência a inflamações e infecções diversas, como colite, dermatoses, apendicite, amidalite, fluxos e corrimentos, dentre outras, além de ser comprovadamente um importante agente cancerígeno.

É importante salientar que, nos grupos de indivíduos basicamente vegetarianos, quase não existe câncer. Independentemente de qualquer postura ou argumentação vegetariana, a carne animal industrial (exceto de caça e animais criados de forma natural) além das considerações supracitadas, é um alimento ainda menos saudável devido aos produtos químicos empregados em seu tratamento.

O sulfito de sódio (que confere a cor avermelhada à carne congelada), o nitrato de potássio (usado para aumentar o prazo de conservação) e o dietietilbestrol (hormônio sintético ministrado aos animais para que ganhem peso) são produtos químicos comprovadamente ligados à ocorrência de diversos problemas de saúde e de consequências imprevisíveis a médio e longo prazo.

Podem causar alterações hipofisárias, alterações hormonais, perturbações menstruais, impotência sexual masculina, problemas de próstata e tumores cancerígenos.

A adrenalina, despejada na corrente sanguínea dos bois (andrenolutina) durante o abate, causa irritabilidade, insatisfação e agressividade sem causa aparente.

Além dos relevantes fatos apontados acima, é importante salientar que a carne é constituída principalmente de músculos de difícil digestão e podemos até afirmar que o organismo humano não é adaptado para seu consumo regular. Isso pode ser comprovado pelo tamanho de nossos dentes e pelo comprimento do tubo digestivo.

A gordura da carne de vaca é altamente saturada e pode aumentar os níveis de colesterol no sangue e o risco de doenças cardiovasculares.

Uma dieta rica em carne pode elevar o risco de câncer de cólon e outros tipos de câncer.

A carne de vaca malpassada pode ser uma fonte de infecções por E. Coli e toxoplasmose.

Não há dúvidas sobre o fato da carne de vaca ser um alimento altamente nutritivo. Ela é uma fonte importante de proteína de alta qualidade. Uma porção de 115g fornece 100% de RDA (ingestão Dietética Recomendada) de vitamina B12, um nutriente essencial encontrado apenas em produtos de origem animal. A carne de vaca é também uma excelente fonte de Vitamina B6, niacina e riboflavina, assim como de minerais essenciais como ferro e o zinco.

Porém, quanto ao tão propagado potencial nutritivo da carne, vale salientar que todas as análises do produto são feitas com carne crua, não se levando em conta que o processo de cozimento retira cerca de 30% de seus nutrientes essenciais. E ela, ao contrário da maioria dos alimentos naturais, não pode ser comida no seu estado natural, pois pode provocar inúmeras doenças, como brucelose, teníase, etc.

Resumindo os malefícios que a carne provoca no homem:

- putrefação no intestino;
- perda de cálcio;
- depósitos de gordura e detritos de nitrogênio nas articulações e artérias;
- elevação do pulso e da pressão arterial, que estimulam artificialmente o organismo de forma passageira e esgotam progressivamente suas reservas energéticas nos processos digestivos.
- Aumento considerável dos riscos de câncer – hoje em dia, a carne contém hormônios sintéticos, antibióticos, corantes, conservantes, além de praguicidas absorvidos pelo gado. O consumo regular de carne é um fator cancerígeno tão importante quanto o cigarro.
- O excesso de carne pode provocar anemia perniciosa, que só existe em animais carnívoros e pessoas que se alimentam basicamente de carne. A razão disso é a falta do ácido fólico, que é necessário para absorção da vitamina B12.

Câncer de mama
A epidemiologista Janet Cade, da universidade britânica de Leeds, mostrou em outro estudo que o consumo de carne vermelha pode aumentar significativamente o risco de câncer de mama em mulheres que já passaram da menopausa.

Câncer de pâncreas
Segundo estudo publicado no British Journal of Cancer, em janeiro de 2012, o consumo de grande quantidade de carne processada pode aumentar o risco de câncer de pâncreas. A pesquisa foi desenvolvida pela Fundação Sueca do Câncer e pelo Instituto Karolinska, na Suécia, e concluiu que ingerir todos os dias uma quantidade do alimento equivalente a apenas uma salsicha ou duas fatias de bacon já é suficiente para aumentar as chances das doenças.

Câncer de intestino e/ou reto
Um estudo realizado na Universidade da Carolina do Norte sugere que o consumo elevado de carne (mais de 600 gramas por dia), principalmente carne vermelha, aumenta risco de câncer de cólon, mas salienta que mais estudos a respeito são necessários para aumentar a certeza acerca do resultado. O jornal I-M Health Newsletter, citando pesquisas feitas nos EUA também alerta para a relação entre câncer de cólon e o consumo excessivo de carne vermelha (mais de 85 gramas por dia).

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Bieber e a pedofilia

Amigos e amigas.
Segue abaixo uma tradução minha de uma matéria que, por se mostrar tão bombástica, entrou para o rol das "teorias da conspiração". O sítio original não me foi possível acessar (aparece um aviso "FORBIDDEN"), mas acessei o texto por outro lugar.

O que assusta é seu protagonista e os outros que são lembrados na matéria. Têm muito peso e a indústria degenerada hollywoodiana sempre se apressa a calar tais denúncias de N formas e, claro, desmentir veementemente as denúncias. Mas bem sabemos que a chance de ser verdade é imensa.

Foi por causa de eu não ouvir falar do Bieber há mais de ano na grande mídia que achei válido reproduzir a matéria. Se for fake ou alguém souber de mais notícias, podem se manifestar. Por ora, penso que é de bom alvitre expor novamente um pouco da depravação da indústria do "entretenimento"... De quem ?
FAB29

PEDOFILIA EM HOLLYWOOD - MAIS UM QUE COMEÇA FALAR.
Imagem relacionada
Marcação do gado moderno
Justin Bieber disse a centenas de pessoas em uma aula de estudo da Bíblia em Los Angeles que "acordou" dos "males da indústria da música" e ele precisa fazer uma pausa na indústria porque é "controlado pelo absolutamente pior das pessoas - pedófilos ".
Bieber tornou-se um regular na classe de estudo da Bíblia realizada no Montage em Beverly Hills e no sábado 22 de julho, ele compartilhou o que ele descreveu como uma "história horrível" como a congregação e explicou porque ele sentiu que ele tinha que sair de sua turnê mundial.
Descrevendo uma festa na turnê - atendido pelo escalão superior de negócios da música, incluindo vice-presidentes executivos de desenvolvimento, produtores, agentes de poder e financiadores internacionais - Bieber disse que foi encorajado a abusar sexualmente de uma criança pequena que havia sido comprada para a festa para Gratificação sexual da elite da indústria.
"Eu não queria fazer isso. Eu realmente não queria. Eles disseram que esta criança estava drogada. Foi horrível", disse Bieber, explicaram. E deixaram claro para ele que ganharia a entrada no "lado comercial da indústria" se ele se juntasse ao clube passando os rituais de iniciação.
"Eu não seria apenas um intérprete, eu seria um mogul. Esse caminho se abriria para mim, como fez para Jay-Z .
É a diferença entre ser um milionário e ser um bilionário".
Mas Bieber disse à congregação que não poderia fazê-lo.
"Para se juntar ao clube, eu teria que fazer coisas ruins para aquelas pobres crianças. Mas então percebi que mesmo isso não era suficiente para eles. Eu também teria que matar essa criança pequena".
Bieber disse que tinha ouvido rumores sobre esse tipo de iniciação na indústria da música, mas ele não tinha sido confrontado com isso antes.
"Eu percebi que eles filmavam secretamente essas festas. Uma vez que você tenha feito um vídeo fazendo algo assim, eles são seus donos".
Bieber disse que sua consciência é clara porque ele não participou, mas o destino da criança drogada o assombra até hoje .
"Eles disseram que essa criança foi estuprada por algumas pessoas diferentes. Eles disseram que estava sangrando. Saí de lá, mas ouvi que ela morreu e isso me assombra".
Esta acusação de Justin Bieber se acrescenta à onda de acusações feitas por celebridades e músicos sobre a verdadeira natureza da elite da indústria da música e do entretenimento. 
Corey Feldman e Elijah Wood foram ambos recordados expondo a pedofilia no coração de Hollywood. De acordo com Elijah Wood (o Frodo, de “O Senhor dos Anéis”) vidas inocentes são destruídas para satisfazer "pessoas com interesses parasitas" que "vêem você como sua presa". 
Em uma entrevista com o Sunday Times, Wood lançou uma série de bombas sobre os pedófilos que dirigem a indústria, observando que "Claramente, algo importante estava acontecendo em Hollywood. Tudo estava organizado”.
Se você lê o Washington Post ou assiste a CNN, a pedofilia não é um problema, e aqueles que falam sobre isso são malucos usando um chapéu de alumínio distribuindo noticias falsas.
Mais e mais estrelas chegam com informações sobre Hollywood e as músicas depravadas da indústria da música.
Nos últimos meses, Nicole Kidman e Lindsay Lohan também falaram sobre pedofilia em Hollywood.
Os amigos próximos de Chris Cornell e Chester Bennington (Link'n Park) afirmam que o par recentemente morto, estava trabalhando para expor o anel pedófilo e trabalhando para expor o coração da indústria da música - e isso lhes custou suas vidas.
Justin Bieber chocou seus fãs cancelando sua turnê mundial e anunciando que precisava de algum tempo além da indústria da música. Mas, à medida que mais informações aparecem, parece que ele tomou a melhor decisão possível para sua vida.
Fonte: https://spidercatweb.wordpress.com/2017/08/06/justin-bieber-pedophiles/

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Despedida

Amigos e amigas.
Começo o ano com este discurso de Roberto Requião, um personagem controverso da história política brasileira. Muitos o vêem como um patriota tipo (não do nível) o Dr. Enéas; outros, como mais um espertalhão, raposa, cobra criada do coronelismo.

Independente de qualquer coisa, seu discurso de despedida tem um peso digno de ser ouvido ou lido pois rasga o verbo e exorta as pessoas a "se ligarem nas quebradas", saírem da letargia onde tão confortavelmente se acalentam.

Os destaques (colchetes, sublinhados e negritos) são meus.
FAB29
https://www.youtube.com/watch?v=fWSh2DL31NE 

Resultado de imagem para requião
Roberto Requião
A casa vai cair: sobre a convivência dos militares com os ultraliberais de Paulo Guedes

Talvez este seja o meu último discurso ou um dos últimos discursos que faço no Senado Federal. Então, inicio solicitando um pouco de tolerância com o tempo.
À conta de preâmbulo, para deixar registrado o meu inconformismo com a expulsão dos médicos cubanos do Brasil; sim, expulsão! Não há outra palavra para classificar a iniciativa extemporânea do futuro Governo, já que sequer se empossou para tomar tão grave decisão sobre o setor que mais demanda atenção estatal e que agora desguarnece-se dramaticamente.

À conta de preâmbulo, dizia, faço uma pergunta: mais do que razões ideológicas, mais do que a bobagem anticomunista, mais do que o esforço para, na visão do futuro chanceler, agradar o salvador do ocidente cristão Donald Trump, mais do que tudo isso, o que pesou mesmo para a expulsão dos médicos cubanos não teria sido a cor da pele deles?

Quase todos pretos!

E onde se viu, que ousadia é essa de preto exibir anel de doutor, ainda mais doutor médico, ainda mais preto comunista? Além do que, a quem esses pretos estrangeiros atendiam aqui na Pátria amada? A outros pretos! Ora, que desperdício!

Na verdade, a expulsão dos médicos cubanos é uma paráfrase da grande meta do bolsonarismo, que é a expulsão do Brasil de todos os estrangeiros indesejáveis. E, no caso, entenda-se por estrangeiro todo brasileiro que se oponha ao novo Governo, às ideias do novo Governo, tanto no plano dos costumes quanto às propostas na área econômica, educacional e de política externa.

A ressurreição de consignas como "Ame-o ou deixe-o", "Pra Frente Brasil", "Ninguém Segura este País", sob a trilha de Dom & Ravel, a mesma trilha usada nas sessões de tortura, talvez queira criar um clima, incentivar manifestações, dar continuidade às mobilizações eleitorais via redes sociais em favor da "purificação" do País, libertando-o dos comunistas, prendendo-os ou expulsando-os.

Um dos filhos do presidente eleito fez até mesmo um cálculo: talvez seja preciso prender e expulsar, como se estrangeiros fossem, uns 100 mil desses brasileiros indesejáveis, para "limpar o Brasil". Na fala desse rapaz, o que mais me assustou foi uma referência que ele fez à Indonésia, como exemplo de país que criminaliza as "atividades comunistas". Mas sabe ele à custa de quê, Senador Raupp? À custa da chacina, do massacre de mais de um milhão de indonésios considerados comunistas.

É de arrepiar! Mas esta é a ideia: se você for a favor, bem-vindo ao Brasil de encantos mil, salve a seleção! Se você for oposição, você é um estrangeiro indesejável, passível de punição.

Pois é, nós que defendemos o Brasil contra a pilhagem de suas riquezas, especialmente a pilhagem do petróleo; nós que somos contra a privatização da Petrobras, da Eletrobras; que somos contra a entrega da Base de Alcântara para os Estados Unidos; que somos contra a absorção da Embraer pela Boeing; que nos opomos à doação do nióbio e outros metais preciosos; que discordamos radicalmente da venda de terras para os estrangeiros; que somos contra a privatização da água, das florestas, do ar e do mar territorial; nós que combatemos a desindustrialização do País; que lutamos pela ciência e pela tecnologia nacional; nós somos os indesejáveis, para eles, nós somos os estrangeiros.

E quem são os brasileiros? Quem são os brasileiros, Senador Paulo Rocha? Paulo Guedes, Castello Branco, Roberto Campos Neto, Sergio Moro, Onyx Lorenzoni, ou os indicados de Olavo de Carvalho, Ricardo Vélez Rodriguez e Ernesto Araújo? Ou seriam Pedro Guimarães e Rubem Novaes? Esses são os brasileiros?

Feito o introito, vamos à missa.

Sras. e Srs. Senadores, brasileiros que nos acompanham pelo sistema de comunicação do Senado, encerra-se no dia 31 de janeiro meu mandato de Senador. Se fizesse uma retrospectiva do que foram esses oito anos, não encontraria nada do que me arrependesse. Cumpri com honra, dedicação e brasilidade o mandato que os paranaenses me deram.

E, caso alguém se desse ao trabalho de compulsar os discursos que fiz nesta Casa, veria neles, de um lado, a insistência sobre o mesmo tema: soberania nacional, construção do Estado nacional brasileiro e, como pressuposto disso, o combate permanente, radical à financeirização da economia, à globalização sob o domínio do capital financeiro ao reino dos bancos, ao império de Mamon. De outro, haveria de constatar a também insistente, radical defesa dos trabalhadores, de seus direitos, de suas conquistas civilizatórias, ao lado da defesa do capital produtivo nacional em oposição ao sibaritas do mercado financeiro, de onde, aliás, procede toda a equipe econômica do próximo Governo.

Um parêntese. Temos à vista uma frente inusitada, um bando de especuladores e de agiotas, ultraliberais entreguistas e traidores da Pátria, ombro a ombro com as Forças Armadas. Eu até poderia estender a adesão da teologia da prosperidade de Edir Macedo, de R.R. Soares, de Malafaia, de Valdemiro Santiago, do impagável Agenor Duque e outros ao neoliberalismo. Afinal, essas igrejas não seriam nada sem o jogo do mercado, das ilusões capitalistas, sem os negócios dos milagres, mas as Forças Armadas... Aí não entendo mesmo. Fecho o parêntese.

O tempo todo, dizia, enquanto esta Casa fartava-se de assuntos absolutamente secundários, de demandas corporativas, da cassação de direitos dos trabalhadores, da redução de direitos sociais, da entrega do petróleo, da renúncia à soberania ou de arremedos de reforma política, ocupei-me daquilo que, para mim, deveria ser a essência de nossos mandatos: um projeto para o Brasil, os fundamentos básicos para a construção do Brasil-Nação, a contraposição entre Brasil, um país para os seus, e Brasil, um mercado para os outros.

Nesses oito anos, foi a minha obsessão, na verdade, uma obsessão de toda uma vida. Inúmeras vezes, desta tribuna, da Comissão de Economia, em seminários e debates onde quer que fosse, aqui ou lá fora, foi o meu canto de uma nota só: um projeto de desenvolvimento nacionalista, democrático e popular. Não se tratava de uma pregação sectária, fundamentalista. Tratava-se, isso, sim, de ter os olhos e a mente abertos...
Tratava-se, isso sim, de ter os olhos e a mente abertos para a realidade das coisas. Tratava-se de não se deixar cegar pela religiosidade, pelo dogmatismo, pelo preconceito ideológico dos liberais. Esta é a verdade: não existe nada mais ultramontano, primitivo, tosco que o neoliberalismo, ainda mais na sua leitura brasileira, que consegue reunir em um só embornal banqueiros, o alto escalão das Forças Armadas, os setores atrasados no agronegócio, representados pela ressurrecta UDR, os cruzados da luta contra a corrupção, os evangélicos da teoria da prosperidade, os barões da mídia, os moralistas, tipo Alexandre Frota e Pastor Feliciano.

Já pensaram, reunidos sob o mesmo teto Paulo Guedes, Gen. Heleno, Edir Macedo, Olavo de Carvalho, Sergio Moro, Joice Hasselmann, Kim Kataguiri, a Família Buscapé, os Setúbals, os Moreiras Sales, os Trabucos? Vão viver sob o mesmo teto até que a casa caia. [Impagável !]

O que teremos, como tudo indica, é um governo para o mercado, ao invés de um governo apesar do mercado. E governo para mercado significa necessariamente um governo antinacional, antidemocrático, antipovo e, por isso mesmo, um governo corrupto, já que a alma, a essência do neoliberalismo é venal, degenerada, ímproba.

Não sabia disso, Juiz Moro? Não sabia até agora?

Afinal, não há ética, não há moralidade, não há cristianismo, não há espiritismo, não há judaísmo, não há islamismo, não há budismo – tomando a essência, a medula, a substância dos ensinamentos dessas religiões – em um regime que não coloque o homem em sua integralidade, no centro de suas ações.

Basta ver o que o Paulo Guedes, cuja ignorância sobre as instituições públicas é alarmante e embaraçosa, andou dizendo sobre a necessidade de sepultar de vez as heranças da social-democracia brasileira. Deus meu! Quando houve um regime social-democrata no Brasil, tomando como paradigma a social-democracia europeia? Nunca, Senador Cristovam. Ou o keinesianismo praticado por Roosevelt, nos Estados Unidos, nos anos 30, 40? Nunca. O que tivemos sob Getúlio, Juscelino, Goulart, Sarney, Itamar e, principalmente, sob os governos do PT, o que tivemos foram algumas concessões, algumas velas acesas ao povo, enquanto queimavam-se tochas em adoração a Mamon. Social-democracia no Brasil quando? Até as migalhas distribuídas incomodam essa gente tenebrosa e desumana. É aterradora a inconformidade dessa gente com a abolição da escravatura.

Daí que, ainda mais uma vez, manifesto a minha estupefação por ver as Forças Armadas metidas nessa cumbuca. É um envolvimento perigoso.

E não me venham com esta conversa mole de que são alguns militares da reserva que farão parte do chamado núcleo duro do próximo Governo e não a instituição. Balela! É a instituição, toda ela, contaminada pela política. A política invadiu os quartéis. Ou o General Villas Bôas vai dizer, como Sergio Moro, que os militares, no Governo, são técnicos?

Já que não há como o próximo Governo dar certo, pois não há como o ultraliberalismo triunfar sobre a sociedade brasileira a não ser reprimindo-a, massacrando-a, calando-a, as Forças Armadas sairão, outra vez, chamuscadas da aventura. E não adianta desviar a atenção a perseguir fantasmas de 83 anos atrás. Não vai dar certo!

Se neste, que talvez possa ser o meu último pronunciamento, Senador Ataídes – por isso, insisto com a tolerância do tempo –, reservei tanto espaço para as idas e vindas das Forças Armadas, é porque meus sentimentos patrióticos, nacionalistas, desenvolvimentistas sempre fizeram polifonia, justaposição com a tradição de patriotismo, nacionalismo e desenvolvimentismo...
Em nome dessa tradição e como ex-aluno do antigo CPOR, faço mais uma pergunta aos militares: o que eles acham das declarações dos ministros que Bolsonaro indicou para as Relações Exteriores, Agricultura e Economia sobre América Latina, Cuba, África e China, espelhando, por exemplo, essas declarações na política externa de Orlando Geisel?

Os escalões superiores das Forças Armadas, tão envolvidos com o próximo Governo e tão apressados em também amaldiçoar a chamada herança petista, mostram-se ignorantes, indoutos sobre as raízes de nossa política exterior: foi sob Geisel que o Brasil reatou com Cuba e China; foi sob Geisel que o Brasil começou a sua aproximação e cooperação com a África; foi sob Geisel que reconhecemos Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, ex-colônias portuguesas; foi Geisel que deu uma banana para os Estados Unidos e firmou o acordo nuclear com a Alemanha; foi ainda sob o regime dos generais que o Brasil se aproximou dos países árabes e passou a ter uma política independente nos conflitos do Oriente Médio. E jamais ocorreria a Geisel ou a qualquer outro dos Presidentes militares bater continência a um tipo como John Bolton. Embaixada do Brasil em Jerusalém? Nem pensar!

Como se vê, sequer no fogo ardente, Senador Ataídes, da guerra fria, o Brasil submeteu-se a um alinhamento automático com os Estados Unidos – sequer naquele momento terrível da guerra fria.

Os senhores militares esqueceram-se disso tudo? Não se lembram mais de que, para realizar os nossos objetivos nacionais permanentes, para isso, é essencial que sejamos um País soberano, dono do seu próprio nariz, que não se envolva nessa ideologização estúpida, atrasada, provinciana em que Guedes, Araújo e Vélez Rodriguez querem nos meter?

Militares, aprendam com Geisel, se não querem dar o braço a torcer para os críticos do novo Governo!

Ora, terceiro-mundismo é a vovozinha de quem disse!

E, por falar em objetivos nacionais permanentes, gostaria de lembrá-los – aos que já esqueceram –, Senadores que estão à Mesa: democracia, paz social, desenvolvimento, soberania, integração nacional e integridade do patrimônio nacional. Pergunto eu: o que esses arrivistas – tipo Paulo Guedes, Joaquim Levy, Roberto Campos Neto, Rubem Novaes, Pedro Guimarães, Carlos von Dollinger e Ernesto Araújo – têm a ver com objetivos nacionais permanentes? Senhores das Forças Armadas, a vocês eu me dirijo.

Talvez para relembrar minha trajetória nesta Casa nesses oito anos, eu tenha feito, Senador Ataídes, uma digressão longa demais. É que pretendia refletir, espelhar as posições de toda uma vida nos tormentosos dias que se aproximam, mas não me vejam como pessimista ou cético. Ninguém tem o direito de ser pessimista no Brasil, não com um povo como o nosso que, há mais de 500 anos, suporta as consequências que ter uma elite predadora, inculta, trapaceira, corrupta e venal lhe ocasiona, mas que segue em frente.

Daqui a algumas semanas, encerra-se o meu mandato de Senador. Não me recolho à vida privada, não tenho também esse direito.

Enquanto respirar, viverei pelo Brasil, fiel, intransigentemente fiel, à utopia que me embala desde a meninice: o sonho de um País soberano, desenvolvido e bom para todos.

Brasileiros, contem sempre comigo enquanto eu viver.