Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


sexta-feira, 29 de março de 2019

Ao vivo e em cores

Amigos e amigas.
Uma entrevista de um professor reformado da USP, o engenheiro eletrônico Valdemar Setzer, me levou a escrever este artigo abaixo.

Seu posicionamento com relação à permissividade da educação moderna com relação aos computadores é muito interessante. Ele se posiciona frontalmente contra a criança e o adolescente ter sua vida incluída nesse mundo virtual, que nubla sua essência humana e atrapalha de sobremaneira seu desenvolvimento em todos os sentidos.

EDUCAÇÃO ROBÓTICA 
Muito se discute a respeito da inclusão digital. Como tudo na vida, há, no mínimo, três lados: o meu, o seu e a Verdade.

É bem sabido que o mundo moderno necessita imensamente da informática. Não preciso evidenciar todas as facilidades que ela proporciona, mas preciso evidenciar seu lado nefasto. Afinal, até o amor e o oxigênio o têm. Vejamos:

Amor tem de ser dosado; em excesso, desvirtua e pais precisam dar eventuais duras lições a seus filhos para que eles se doutrinem a respeitar limites e a se precaver com o dito “mundo cão”, que nunca alivia com ninguém. No caso do oxigênio, ele é imprescindível à vida, mas ele pode causar os radicais livres que “enferrujam” o corpo, caso este não esteja bem ajustado, nutrido e vitaminado.

O problema da informática me parece óbvio: ela é “MUNDO VIRTUAL”! Quando damos às nossas crianças o livre acesso a esse mundo, ela “deixa de viver”. Viver é ter contato FÍSICO com pessoas: olhar, conversar, brincar, discutir, abraçar, trocar idéias, aprender, praticar, etc.

Pelo mundo virtual, é muito fácil enganar, dissimular, desvirtuar, esconder-se, corromper, ser corajoso, etc. Ao vivo, frente a frente e em cores é extremamente mais difícil. Só se consegue após anos de prática. Exatamente por isto, as pessoas não “queimam etapas", podendo amadurecer gradualmente, como a natureza manda.

Além de quê, cada um é cada qual. Quem tem contato ao vivo com 10 pessoas confiáveis aprende muito mais da vida do que alguém que tenha contato com 10 mil pessoas via MSN ou qualquer outra rede virtual. É evidente: com esses amigos, você desenvolve várias coisas na prática:

- AUTOCRÍTICA, quando eles mostram que você está extrapolando em alguma atitude;
- HUMILDADE, quando você vê que vários deles tem conhecimentos e qualidades superiores;
- BEM QUERER, quando você se preocupa em encontrar soluções para diversos problemas deles;
- ESPERTEZA, quando eles tentam lhe “sacanear”, no bom sentido;
- TOLERÂNCIA, quando seus amigos estão naqueles dias de “pé-no-saco”;
- PRAZER EM VIVER, quando eles demonstram com gestos e/ou palavras o quanto você é querido e importante;
- SAÚDE EM TODOS OS SENTIDOS, quando vocês se exercitam em todos os níveis e situações possíveis. E muitas coisas mais.

Sou a favor da inclusão digital e de se ter salas de informática nas escolas. Mas as classes à moda antiga são intocáveis, só precisando ser buriladas em suas atividades. As crianças e adolescentes NÃO PODEM ser tolhidos disto! Tão importante para o ser humano do que o aprendizado intelectual, o conhecimento, o raciocínio e a interpretação é a SOCIALIZAÇÃO!

Sabemos que “ninguém é uma ilha” (por mais que queira e tente) e TODOS que desejam viver em sociedade precisam aprender a viver nela, a ter limites, a ocupar nosso espaço sem invadir o de ninguém, a se posicionar de acordo com a situação, etc. E como a escola é uma extensão de nossa casa, o contato ao vivo e in loco com outras mentalidades e personalidades é essencial e crucial nesse desenvolvimento e evolução.

Em tempo: vocês sabiam que os grandes executivos do Vale do Silício, berço e quartel general da Microsoft, colocam seus filhos em escolas que NÃO POSSUEM computadores como parte do material didático? Isso, até a HIGH SCHOOL, o nosso 2º grau! Portanto, eles só terão contato constante com computadores a partir dos 16 ou 17 anos, quando já terão uma formação mental, moral e psicológica já bem estabilizada.

Interessante, não ?!
FAB29