Quando a alma deseja

A PALAVRA SÓ É LIVRE QUANDO FLUI PARA DENTRO DA MENTE, DO CORAÇÃO E DA
ALMA SEM RANCORES, DISTORÇÕES E FALSIDADES.

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.

Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.

Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.

Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.

Mas, depois de muita análise e observação, se você vir que algo concorda com a razão

e conduz ao bem e ao beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

Sidarta Gautama (Buda)


segunda-feira, 8 de abril de 2019

Valores

Amigos e amigas.
Qual é o valor da honestidade? Esta, que deveria permear cada atitude humana em prol da evolução, do progresso e do bem estar, é obliterada quando entram em cena a ganância e a sanha por dominância e poder. Será que se pode afirmar que alguém fica milionário honestamente, sem nunca ter cometido ou se beneficiado por alguma falcatrua? Afinal, a corrupção está entronizada nas sociedades, política e economia mundiais que regem nossas vidas. Seja por ignorância, omissão ou impotência, todos nós somos conspurcados em algum nível pela imoralidade dessas criaturas malsãs. E quanto maior o progresso financeiro, tanto maior é o contato com o dinheiro sujo da corrupção generalizada: drogas, estelionatos, pornografia,...!

Qual é o valor da justiça? Esta, que tem por premissa primária zelar pela lisura dos atos humanos, distribuindo culpas e inocências bem ao estilo "A César o que é de César", quase sempre se vê superlotada, distorcida, vilipendiada e mesmo intimidada e comprada pelo poder do Capital dominado pelos grandes parasitas. Nesse "Quem pode mais, chora menos", os miseráveis e menos abastados superlotam as penitenciárias (vários, injustamente) e a maior das impossibilidades é um dos "grandes" pagar por seus crimes. Além do quê, o escravagismo que é fomentado e nutrido por essa casta degenerada é determinante na perpetuação e até na institucionalização da injustiça. O corporativismo ("Salve o meu que eu garanto o seu") grassa sem o menor constrangimento nas altas rodas.

Qual é o valor da paz? Esta, que é sinônimo de harmonia e equilíbrio,  não serve para os usurários que vivem da podridão que causam com seu parasitismo ("A usura é um câncer no azul" - Ezra Pound). Ela não gera os lucros que eles almejam (fáceis e estratosféricos). Assim como um lago estagnado ou um céu todo azul, a paz não necessita de loucuras e atitudes extremas e urgentes. Os "defensores da guerra" (lembram do Obama a defendendo ao receber o Prêmio Nobel da Paz?) dizem que "a paz cria mofo na humanidade, atrasando em muito a sua evolução. A guerra sacode a poeira, tira o povinho do marasmo e injeta sangue novo à vida". Talvez para substituir o que verteu dos milhões de mortos... Então, o "Se vis pacem, para belum" torna-se absoluto.

Perceberam que os três tópicos são inseparáveis? Se você é honesto, jamais cometerá injustiças. Assim, sempre viverá em paz com seus semelhantes que não terão motivos para serem desonestos com você. Eu os vejo como o "Tripé de Humanidade" porque a constante prática deles criaria uma confiança, respeito e bem querer tão poderosos que tudo o que houvesse de bom brotaria dali.

Eu sempre serei um defensor intransigente desses três pilares. E se tiver de guerrear para garantir que meu universo seja agraciado por eles, o farei. Tudo que eu acreditar ser uma nódoa sequer que manche seus brilhos e transparência, eu contestarei, repelirei e combaterei, independente de qualquer vendido ou coisa pior que venha se opor às minhas idéias e ideais, me combater, me condenar, tentar me dissuadir, me corromper. Se me provarem ou mesmo se eu crer que as contestações às minhas convicções forem mais corretas, não terei nenhum problema em acatá-las, mudar meu rumo. Assim é o dinamismo da vida.

Eu vivo e morrerei com minhas opiniões. Mais uma vez, o maior poeta estadunidense do século 20, Ezra Pound: "Aquele que não está disposto a morrer por sua opinião, ou sua opinião, ou ele próprio não vale nada!"
FAB29